Ana de Cleves

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ana de Cleves

Mensagem  Renato Drummond em Dom Jun 12, 2011 11:36 am

Que impasse a quarta esposa de Henrique VIII passou: saiu de uma terra longínqua, mal sabendo falar inglês, para se casar com um dos maiores reis europeus. Em sua ignorância, não percebeu que era alvo dos mais sórdidos comentários da corte, pois seu marido sentia-se impotente diante de sua presença, não tanto por causa de sua experiência, mas principalmente por causa da sua "aparência".
Ana de Cleves, a "irmã feia" do rei. Vocês concordam com essa descrição feita acerca da filha do Duque John de Cleves?
Assim como o tema da virgindade de Catarina de Aragão, eu ja tenho a minha opinião, mas gostaria de ouvi-los primeiro!

Um grande Abraço a todos!


Última edição por Renato Drummond em Dom Jun 12, 2011 3:10 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Renato Drummond

Mensagens : 40
Data de inscrição : 05/06/2011
Idade : 25
Localização : Ilhéus

Ver perfil do usuário http://www.jardimdeclio.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ana de Cleves

Mensagem  Maria Helena em Dom Jun 12, 2011 2:34 pm

O livro A herança de Ana Bolena fala muito bem sobre Ana de Cleves. Eu simpatizo muito com ela, acho que deve ter sido extremamente difícil sair do seu país e ir para um lugar totalmente estranho. Eu acho que eles a achavam feia pelo modo "estranho" de ela se vestir (algo óbvio, pois ela vivia em outro país), e provavelmente porque ela não falava inglês (o livro cita isso também). Em 1930 (ou 90, eu realmente não me lembro) foi descoberto um 'novo' retrato da Ana, e eu não achei ela feia. Inclusive, achei-a muito mais bonita do que Jane Seymour.
avatar
Maria Helena
Admin

Mensagens : 88
Data de inscrição : 05/06/2011

Ver perfil do usuário http://www.boullan.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ana de Cleves

Mensagem  manah_almeida em Seg Jun 13, 2011 11:12 am

Pra mim, Ana de Cleves não era feia. Como Sora falou, ela causava estranhamento pelas roupas, modos e sotaque, geralmente, o que é diferente da sua cultura é tido como feio ou exótico, no caso dela, foi feio.

Mas acho ela ela, ao contrário do que Renato comentou, não era nada ignorante sobre sua situação e sobre o que se passava ao seu redor:
"Em sua ignorância, não percebeu que era alvo dos mais sórdidos comentários da corte, pois seu marido sentia-se impotente diante de sua presença, não tanto por causa de sua experiência, mas principalmente por causa da sua "aparência".

Acredito que Ana sabia exatamente o que estava acontecendo, a acima de tudo, sabia bem o "perigo" que passava estando casada com Henrique VIII e não o agradando, sua cabeça estava em jogo, então ela fez o que qualquer pessoa esperta faria: ela "foi com a maré", tentando não fazer intrigas, sempre sorrindo e fazendo o que o rei quisesse, e quando ele quis se separar dela ela não fez estardalhaço, acho que ela suspirou fundo e agradeceu a Deus sair dessa experiência viva.

E olha que ela saiu viva e muito bem; o rei adorou o fato dela ter se comportado bem diferente de Catarina de Aragão no quesito separação, ela ficou amiga da rainha sucessora, de Maria, filha do rei, era sempre muito bem vinda na corte, participava de festas, acabou com uma casa maravilhosa, pensão, bem vista e querida pelo rei e, principalmente, obteve uma coisa muito anisada por todos, e principalmente pelas mulheres: liberdade. Imaginem só o que era na corte da era Tudor ser uma mulher independente e livre? Acho que ela foi bem feliz, e muito sábia.
avatar
manah_almeida

Mensagens : 39
Data de inscrição : 06/06/2011
Idade : 32
Localização : João Pessoa - PB

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ana de Cleves

Mensagem  Maria Helena em Seg Jun 13, 2011 3:24 pm


Eu também acho que ela "foi com a maré". Ela deveria saber que ir contra o rei era pedir pra morrer, então simplesmente aceitou, e acabou saindo bem dessa. Até mesmo que depois que ela ganhou sua casa e tudo o mais, ela aperfeiçoou o inglês e melhorou as roupas. Acho que ficar na corte tendo Henrique VIII como marido deve ser no mínimo traumático =D

Bom, é claro que vendo pelo lado econômico, ela deve ter ficado imensamente feliz. Só não se esqueçam que ela foi proibida de se casar ou ter relações com qualquer homem após se separar do rei.
avatar
Maria Helena
Admin

Mensagens : 88
Data de inscrição : 05/06/2011

Ver perfil do usuário http://www.boullan.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ana de Cleves

Mensagem  manah_almeida em Seg Jun 13, 2011 3:37 pm

Ela foi proibida de casar e ter relações com qualquer outro homem... apesar de não haver fatos, provas ou indícios, acho que se ela quisesse ela teria tido um amante ou algo assim, com tanta coisa ocorrendo na corte, na política etc, o rei tinha coisas mais importantes pra se preocupar do que ficar "fiscalizando" Ana de Cleves; e se uma Rainha teve um amante que ficou em segredo por um tempo, quanto mais uma ex mulher do Rei, vivendo longe e sozinha?
Não digo que ela teve, mas acho que ela era bem feliz, bem, todas as descrições dela após o divórcio apontam uma viva bem feliz e festeira, no mio disso pode ter ocorrido num namorico escondido.
Very Happy
avatar
manah_almeida

Mensagens : 39
Data de inscrição : 06/06/2011
Idade : 32
Localização : João Pessoa - PB

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Sobre a Filha de Cleves...

Mensagem  Renato Drummond em Qui Jun 16, 2011 1:25 pm

Ana teve uma infância bastante diferente das jovens inglesas, até porque os costumes de seu país eram mais singulares em relação aos da Inglaterra ou Espanha. Sua mãe, a duquesa Maria de Jülich – Berg era uma católica fervorosa e que não achava correto ensinar a erudição para as suas filhas. A prova disso é que Ana não sabia ler nem escrever em qualquer língua que não fosse a sua, enquanto que seu irmão era tutelado pelo próprio Konrad van Heresbach.
Quando Jane Seymour morreu, passaram-se alguns meses e Henrique sentiu necessidade de casar-se novamente, mas dessa vez por interesses políticos e enviou o pintor da corte, Hans Holbein, para pintar retratos das princesas européias. Ele ficou encantado com Christina de Milão, mas a aliança do tio desta, o imperador Carlos V, com o rei Francisco da França, o fez reavaliar suas decisões e percebeu que a união entre Inglaterra e o ducado de Cleves iria por um empecilho aos planos do imperador.
Hans Holbein fez um retrato magnífico de Ana, com ela de frente para que não escondesse quaisquer defeitos escondidos por uma pose de perfil (hoje esse retrato se encontra no museu do Louvre, Paris) e em fins de 1539, Ana e sua comitiva partia para a Inglaterra. Mas o que Henrique viu não agradou seus olhos: a lady não era muito parecida com o retrato e era diferente de todas as que ele já tinha visto. A filha de Cleves era uma garota séria que não sabia falar a língua de seu esposo. Foi criada para ser submissa!
Em minha opinião, ela não era feia, mas também não era bonita e muito menos, “comum”. Classifico Ana de Cleves como peculiar, exótica (tomando por base o retrato feito por Holbein e o que a Sora postou para nós). Era da mesma idade da filha mais velha de Henrique, Maria, e não tinha experiência de vida, pois fora criada embaixo da asa de sua mãe.
Henrique sentiu-se impotente como sua nova rainha e em sua canalhice cordial levantou a hipótese de que ela não era virgem pelo fato de seus seios serem flácidos. Naquela época, o rei já era um homem de quase 50 anos e obeso e eu o culpo pelo insucesso de consumar seu casamento com Ana e não a pobre moça.
Aí surge em cena jovem Catarina Howard, dama de companhia da Rainha e que conquistou a atenção do rei. Ora, Henrique queria ter um segundo filho homem e como percebeu que Ana não servia para isso, decidiu mais uma vez divorciar-se. A filha de Cleves era uma moça ingênua e descrente do comportamento inglês, tanto que ela não sabia de absolutamente nada dos mexericos a seu respeito. Foi preciso suas aias, entre elas Jane Rochford, para alertá-la que algo estava errado. A prova da inocência de Ana é que ela achava que estava tudo certo com o casamento, pois o rei vinha a seu leito, beijava-lhe no rosto, dava uma “boa Noite” e quando acordava repetia a cordialidade.
Quando ela soube que o rei queria separa-se, nada podia fazer, porque era uma estrangeira sozinha em um lugar onde o governante mostrou-se cruel com suas consortes anteriores. Submissa como sempre, ela aceitou seu destino, ou como mencionaram aqui no tópico “ela foi com a maré”. E Henrique sabia muito bem ser grato com aqueles que aceitavam sua vontade. Ana recebeu altas pensões e terras, passando até mesmo a despertar um gosto por bebidas. Não duvido também que em uma noite de farra ela possa ter encorajado algum rapaz. Em minha opinião, ela não gostava de Catarina Howard, apenas demonstrava, superficialmente, simpatia. Afinal, foi por causa de Catarina que ela perdeu a coroa e se eu não me engano, há relatos de que ela mostrou-se satisfeita com a morte de sua sucessora, até mesmo porque ainda tinha esperanças de Henrique aceitá-la de volta.
Gosto muito de Ana de Cleves, mas sempre quando penso nela me vem um sentimento de pena na mente, pois nem mesmo após a morte de Catarina Henrique a quis e quando ele morreu, ela ficou muito endividada e quis voltar para casa. Não tenho muita admiração por ela como rainha, mas simpatizo mais com sua causa do que com a de que Catarina Howard.

Abraço a Todos!
avatar
Renato Drummond

Mensagens : 40
Data de inscrição : 05/06/2011
Idade : 25
Localização : Ilhéus

Ver perfil do usuário http://www.jardimdeclio.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ana de Cleves

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum